3 de jul de 2012

Uma volta na praça


A magia do milho estourando na panela para estrear pipoca.

O girar da panela de alumínio fazendo o açúcar depositado em sua base virar algodão-doce cor-de-rosa nas mãos do vendedor.

Os instrumentos musicais sendo retirados com cuidado das caixas de couro preto pelas mãos dos integrantes da banda que se apresentará logo mais no coreto.

A lua resplandecendo no no céu black total, escoltada pelas estrelas que, em bando, feito gazelas, não se cansam de piscar para a cidadela.

As águas multicoloridas da fonte pulando muito doidas na presença de dois anjos, um de frente para o outro, tendo aos seus pés peixinhos de cimento.

A algazarra das crianças de várias idades a brincar e escapar sorrateiramente das mãos zelosas de seus pais.

O ir e vir dos adultos reunidos em duplas, quartetos ou sextetos à procura dos amores sonhados em preto e branco ou colorido, ou então fugindo dos pesadelos que os assombraram na noite passada.

O cheiro das flores recém aguadas exibindo suas melhores cores e modelos nos canteiros espalhados pelo passeio.

Os casais enamorados sentados no frio dos bancos de cimento marcados com o nome, logo e telefone de seus patrocinadores.

E finalmente o tempo. A noite se fazia agradável, sem frio ou calor. Tudo dava a entender que o tempo estava ali parado, na moita, esperando o desenrolar daquela história. Mas que nada. Na verdade ele se encontrava em movimento, dando voltas em torno da vida de cada uma daquelas pessoas, levando-as para um novo tempo,sem precedentes até aquele momento.


Este texto poesia mexe e remexe nas gavetas esquecidas de nosso passado. Da mesma forma que o fazem estas etiquetas muito especiais que foram desenvolvidas e produzidas para a primeira coleção de roupas, acessórios e objetos da marca masculina recém lançada, NOIR,LE LIS.

As etiquetas, em sua grande maioria, foram feitas em duas variantes de fundo: branco e gengibre escuro. A escolha por fotografar as etiquetas sobre uma base de cashmere na cor camelo, deve-se à atmosfera noir proposta pela marca.


Nesta etiqueta, o logo aparece como efeito do fundo; chamamos esta técnica de realce. Ao invés de bordar o logo na mesma cor do fundo, faz-se um clichet do mesmo e aplica-se à etiqueta. O resultado, como você pode ver, fica incrível. Este é um exemplo de uma boa parceria estabelecida entre o cliente e o fornecedor, neste caso de etiqueta. Esta técnica foi sugerida por mim e acatada pelo cliente.


Esta etiqueta tem o fundo em algodão cru. Ela fica com um aspecto mais rústico, ideal para ser aplicada em  produtos casuais.


Nada mais justo do que apresentar aqui alguns grafites clicados que têm em si uma conotação noir; trazem em si a vontade de voltarmos a um tempo que se foi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário